Últimas Notícias

Benefícios do treinamento de força para idosos

Com o passar dos anos, a população idosa vem aumentando de forma muito significativa, chegando aos dias de hoje com um número muito superior a décadas atrás. Segundo dados do Fundo das Nações Unidas para a População, em 1950, havia cerca de 204 milhões de idosos no mundo. Em 1998, quase cinco décadas depois, este número já alcançava 579 milhões de pessoas. Informações do Ministério da Saúde sugerem que, em 2025, o Brasil será o 6º país com maior número de pessoas idosas do mundo.
Continue Lendo

A importância da atividade física para idosos

A prática da atividade física pode controlar e até mesmo evitar alguns sintomas de doenças, dentre os benefícios dos exercícios, pode-se destacar menor probabilidade de disfunções cardiovasculares, como aumento do consumo máximo de oxigênio, redução da pressão arterial e freqüência cardíaca em repouso, diabetes, osteoporose, depressão e ansiedade. A prática de exercício físico, além de combater o sedentarismo, contribui de maneira significativa para a manutenção da aptidão física do idoso. A atividade vai influenciar na autonomia do idoso, ele vai começar a realizar atividades que a muito não realizava, podendo se tornar uma pessoa independente.
Continue Lendo

Treinamento de força e saúde

Durante muitos anos acreditou-se que certas características físicas, como a força muscular ou a resistência cardiorrespiratória, estivessem associadas à boa saúde e à longevidade. Sempre se observou que as pessoas que se mantinham em atividade ao longo da vida eram mais independentes e viviam por mais tempo. O treinamento de força (TF) — que inclui o uso regular de pesos livres, máquinas, peso corporal e outras formas de equipamento para melhorar a força, potência e resistência muscular — tornou-se uma forma popular de exercício físico nas últimas décadas.
Continue Lendo

Momento Itapema FM

Banner-Itapema-02

Você sabe o que é EPOC?

Após a execução de uma sessão de exercícios, aeróbio ou contra resistência, a taxa metabólica permanece elevada em relação aos valores de repouso, para que o organismo retorne ao seu estado de equilíbrio. Esse momento, se chama EPOC (excesso de oxigênio consumido pós-exercício), caracteriza-se pelo consumo de oxigênio aumentado em relação ao período pré-exercício.
Continue Lendo